Medicamentos genéricos continuam a esgotar nas farmácias, mais do que os outros

Comprar medicamentos genéricos está a ficar cada vez mais difícil para os portugueses

16 de dezembro de 2013 - 09h03



A ruptura no abastecimento de genéricos aumentou 8% em novembro, segundo o presidente da Associação Nacional das Farmácias (ANF), Paulo Duarte, que indica que não há sinais de melhorias.



Segundo Paulo Duarte, os medicamentos mais baratos continuam em falta e até houve um aumento no número de embalagens esgotadas.



Os dados da ANF referem que foram registadas 918.189 faltas de medicamentos, mais 64.833 do que em outubro.



“Por princípio, as faltas sentem-se sobretudo nos medicamentos mais baratos, porque o seu valor é tão baixo que deixa de ter interesse para as empresas”, explica Paulo Duarte.



Nos últimos cinco anos, o preço dos medicamentos baixou 35% e mais ainda nos genéricos.



Os genéricos são mais baratos do que as fórmulas originais em cerca de 20 a 35%, o que provoca uma maior procura por parte dos utentes, que, devido ao número elevado de embalagens esgotadas, ficam sujeitos a comprar as versões mais caras dos medicamentos.



SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários