Medicamento contra arritmia cardíaca aumenta risco de cancro

Os autores do estudo analisaram 6.418 pacientes que tomaram amiodarona
10 de abril de 2013 - 11h38



O Nexterone (amiodarona), um medicamento muito utilizado no controlo da arritmia cardíaca, aumenta o risco de cancro, especialmente entre os pacientes submetidos a altas dosagens do fármaco, revela um estudo publicado na última edição da revista americana Cancer.



O medicamento dissolve-se na gordura do organismo e degrada-se muito lentamente, podendo acumular-se nos tecidos após um consumo prolongado, destacam os investigadores do Veterans General Hospital de Taiwan.



Outros estudos já tinham mostrado que havia a possibilidade da amiodarona aumentar o risco de desenvolver determinados tipos de cancro.



Os autores do estudo analisaram 6.418 pacientes que tomaram amiodarona e que foram acompanhados durante dois anos e meio. Deste total, 280 desenvolveram cancro.



Depois de analisados fatores como idade, sexo e outras doenças dos pacientes, os cientistas repararam que os participantes que tomaram fortes doses de amiodarona registaram duas vezes mais probabilidade de contrair cancro que os submetidos a doses menores.



"Recomendamos que os casos de cancro destes pacientes sejam sistematicamente mencionados em futuros estudos clínicos com amiodarona, e consideramos necessário realizar mais pesquisas", destacou SU.



O Nexterone é comercializado pelo laboratório Baxter Healthcare Corporation.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários