Manuel Pizarro anuncia que país vai ficar "completamente coberto" com equipamentos de desfibrilhação

Realizou-se hoje a cerimónia da entrega de equipamentos a 101 corporações de todo o país

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Manuel Pizarro, anunciou hoje, em Coimbra, que até ao final do ano todo “o país ficará completamente coberto” com equipamentos de Desfibrilhação Automática Externa (DAE).

Manuel Pizarro presidiu hoje, na delegação regional do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), à cerimónia de entrega de equipamentos de DAE a 101 corporações de bombeiros de todo o país e revelou que, na próxima entrega destes equipamentos, “o país vai ficar completamente coberto”.

“Vai ficar [completamente coberto] na próxima entrega. Entregámos os primeiros 30 em janeiro, entregámos agora 101 e temos cerca de mais 100 que vamos entregar até ao final do ano, e nessa altura sim, o país ficará completamente coberto com estes equipamentos nas corporações de bombeiros”, disse aos jornalistas.

De acordo com Manuel Pizarro, os primeiros 131 desfibrilhadores foram inteiramente custeados pelo Instituto Nacional de Emergência Médica e os próximos 100 serão custeados numa parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, “que é importante, porque permite acelerar este processo de generalização do aparelho a todas as corporações de bombeiros que trabalham em parceria com o INEM".

Segundo uma nota do gabinete de comunicação do Ministério da Saúde, o alargamento do programa de DAE do INEM aos seus parceiros do Sistema Integrado de Emergência Médica é indispensável para uma melhor assistência médica às vítimas de paragem cardio-respiratória.

Referindo-se, na cerimónia, ao programa de DAE, o secretário de Estado disse que ele “é importante em si mesmo, porque estes instrumentos podem ajudar a salvar vidas, mas é também absolutamente decisivo porque permite, de uma forma integrada, melhorar a formação dos operacionais que, no terreno, têm de lidar com a área da emergência” pré-hospitalar.

“Se fizermos um balanço justo e objetivo da evolução do sistema de emergência médica em Portugal nos últimos quatro ou cinco anos, temos de reconhecer que houve um progresso muito assinalável”, acentuou ainda o governante.

Para o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Duarte Caldeira, a cerimónia de hoje tem “um particular” significado”, pois, “apesar da parceria do INEM com os bombeiros ter cerca de três décadas”, chegou-se a um patamar dessa parceria “que anuncia tempos novos”.

“Temos encontrado ao longo de um ano, da parte dos dirigentes do INEM, um desejo real e efetivo, materializado em atos e não apenas em palavras, de concretizar esta mesma parceria enquanto instrumento de serviço público, onde, num tempo onde tão difícil é disponibilizar recursos, existe a preocupação de os rentabilizar”, afirmou Duarte Caldeira.

Na sua intervenção, o presidente do INEM, Miguel Soares de Oliveira, destacou a importância do alargamento do programa dos DAE, com a entrega de hoje.

“Isto é o princípio de um reforço de uma parceria. Iremos continuar sempre, como até agora, a tentar encontrar as melhores soluções para as várias dificuldades com que vamos deparando”, afirmou.

04 de abril de 2011

Fonte: LUSA/SAPO

Comentários