Mais de mil pessoas afetadas no Japão por consumo de alimentos contaminados

A polícia abriu uma investigação para determinar a origem da contaminação

8 de janeiro de 2014 - 11h11

Mais de 1.000 pessoas em todo o Japão afirmam ter ficado doentes por consumir alimentos congelados contaminados com pesticidas, anunciou esta quarta-feira a agência de notícias Jiji.

Até terça-feira foram registrados 360 casos, mas desde que a imprensa divulgou a notícia foram feitas novas denúncias e o número de vítimas cresceu rapidamente.

No fim de dezembro, a filial Aqlifoods do grupo japonês Maruha Nichiro Holdings apontou a presença inexplicada de um pesticida chamado Malathion em diversos produtos congelados confeccionados numa fábrica da cidade de Gunma, a noroeste de Tóquio.

Vários clientes detetaram um odor estranho em alimentos, sobretudo em croquetes e pizzas, e avisaram a empresa.

Os alimentos foram retirados da venda, mas pessoas que os chegaram a ingerir ficaram afetadas.

Um bebé de nove meses foi hospitalizado de ter comido os croquetes contaminados.

No total, mais de 1.000 pessoas de quase todas as cidades do Japão apresentaram sinais de diarreia, vómito e náuseas.

A maior quantidade de casos, mais de 200, foi registrada na cidade de Hokkaido, no norte do Japão.

A empresa decidiu retirar da venda mais de 6,4 milhões de artigos, mas até ao momento só conseguiu recuperar 1,49 milhões, um quarto do número total.

Entre 29 de dezembro, quando a Aqlifoods fez o primeiro anúncio de retirada dos alimentos, e 7 de janeiro a empresa recebeu 630.000 chamadas de consumidores inquietos.

A polícia abriu uma investigação para determinar a origem da contaminação.

SAPO Saúde com AFP

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários