Mais de mil crianças com bilharziose em Luanda por consumo de água imprópria

O consumo de água imprópria causou schistomíase ou bilharziose a mais de mil crianças, na comuna da Funda, arredores e Luanda, que estão a ser seguidas nos hospitais da localidade, anunciaram as autoridades de saúde.
créditos: HENRIQUE BOTEQUILHA/LUSA

HENRIQUE BOTEQUILHA/LUSASegundo a diretora municipal de saúde de Cacuaco, Catarina Oatanha, a bilharziose, uma doença parasitária, está presente geralmente em comunidades sem acesso à água potável e saneamento adequado.

"A Funda é uma área muito endémica por falta de água potável e o sistema de saneamento básico é precário. Tudo isso faz com que a população use com frequência os rios e lagoas que circundam na comuna", disse Catarina Oatanha, citada hoje pelo Jornal de Angola.

Para prevenção e tratamento, a direção de saúde local desenvolver uma campanha de desparasitação, com a distribuição de albendazol e prazinquantel.

A responsável frisou que a ação de desparasitação será realizada de seis em seis meses, mesmo nas pessoas sem os sintomas da doença, que pode causar no seu estadio mais avançado infertilidade, cancro terminal da bexiga ou dos intestinos e mais grave a morte.

Catarina Oatanha disse que um dos sintomas da schistomíase são febres altas, que muitas vezes leva a confundir-se com a malária.

Quando o parasita se hospeda na bexiga, a infeção manifesta-se pela presença e sangue na urina e dores na bexiga. Se for no intestino, o sinal da doença são diarreias constantes.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários