Maioria dos homens que se prostitui no Norte são homossexuais

A maioria dos homens que se prostitui na região norte são homossexuais, residem sozinhos no Grande Porto e dizem usar preservativo nas relações profissionais, revela um estudo recente da Associação para o Planeamento da Família.

Em entrevista à agência Lusa, Nuno Teixeira, coordenador do projeto ECOS - Educação, Conhecimento, Orientação e Saúde, revela que a maioria dos trabalhadores do sexo masculino na região Norte é identificada como homossexual, tem nacionalidade portuguesa, usa o Serviço Nacional de Saúde (SNS), apresentam-se como género masculino, desempregado e a residir sozinho, principalmente no Grande Porto, mas também em Braga, Vila do Conde, Felgueiras, Guimarães e Póvoa de Varzim.

O mesmo estudo indica que um em cada cinco trabalhadores do sexo do género masculino no Norte de Portugal é portador do VIH/Sida, segundo um estudo da Associação para o Planeamento da Família.

Os dados a que agência Lusa teve hoje acesso são resultantes de um estudo denominado Projeto ECOS - Educação, Conhecimento, Orientação e Saúde – e que apenas caracteriza uma amostra de 57 indivíduos trabalhadores do sexo na região Norte de Portugal que foram inquiridos, explica o coordenador do projeto.

“Tratou-se de uma amostra de conveniência recolhida através do método de ‘snowball’, onde participaram 57 indivíduos, aos quais foi atribuído o sexo masculino na altura do nascimento e todos eles a exercerem trabalho sexual na zona norte do país no momento em que foi administrado o questionário”, descreve o coordenador do projeto ECOS.

O estudo de caracterização de atores sociais, práticas e contextos envolvidos no trabalho sexual masculino teve como objetivo último “concorrer para a desocultação dos determinantes da infeção VIH/SIDA neste grupo específico”, explica Nuno Teixeira.

Os participantes têm idades compreendidas entre os 19 e os 54 anos e, deste total, 28 indivíduos nasceram em Portugal (49.1%) e 29 possuem outra nacionalidade (50.9%).

Comentários