Mãe que levou recém-nascido do hospital de Faro detida e vai a tribunal

A mulher que, no passado domingo, deixou o Hospital de Faro com o filho recém-nascido e regressou àquela unidade na quinta-feira foi detida nesse mesmo dia e vai ser presente a tribunal, disse hoje fonte policial.
créditos: LUÍS FORRA/LUSA

A mulher voltou com o bebé ao Hospital de Faro por volta das 22:30 de quinta-feira, estando os dois “aparentemente bem”, segundo informações prestadas por responsáveis hospitalares horas depois.

Em declarações aos jornalistas à porta da unidade hospitalar horas depois de a mulher ter voltado com o seu filho, a pediatra de serviço na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais Maria Alfaro disse que “felizmente o bebé chegou em boas condições, a mãe estava muito arrependida”.

“Entregou o bebé em boas condições de higiene, aparentemente está bem. Agora vamos avaliar o bebé, o estado de saúde, a parte familiar, social e logo se vê”, disse a médica.

O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Algarve, Pedro Nunes, realçou que a mãe estava a ser observada no serviço de Obstetrícia e que “o hospital só alegou o perigo para a vida do bebé para poder acionar as autoridades policiais, portanto foi uma presunção de risco, não foi um diagnóstico de risco efetivo”.

“O que o hospital procurou desde o início foi transmitir uma mensagem de apelo a que a mãe voltasse ao hospital com a criança”, declarou Pedro Nunes.

No passado domingo de manhã, a mulher, de acordo com o gabinete de relações públicas do Centro Hospitalar do Algarve, “abandonou inesperadamente o Hospital de Faro e sem conhecimento da equipa de saúde, onde se encontrava internada, levando consigo o filho recém-nascido que estava internado no serviço de medicina intensiva neonatal e pediátrica”.

Na quinta-feira, a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde e a Entidade Reguladora da Saúde anunciaram estar a investigar o caso.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários