Má nutrição matou dezenas de crianças no sul de Angola este ano

Várias doenças causaram a morte de 66 pessoas, a maioria crianças, mais de metade delas devido à má nutrição, nos últimos sete meses em unidades sanitárias da província angolana da Huíla, anunciaram as autoridades de saúde local.
créditos: LUSA

A informação avançada pelo supervisor do programa de vigilância epidemiológica, Avelino Muenecongo, dá conta que foram registados 33 óbitos em crianças menores de cinco anos por má nutrição, de um total de 496 casos notificados.

Segundo o responsável, os números representam no entanto uma diminuição quer de casos quer de mortes, comparativamente ao período homólogo, em cerca de dois mil casos e quatro óbitos.

Avelino Muenecongo, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, sublinhou que os casos foram registados na sua maioria na pediatria do Lubango, capital da Huíla, onde melhoraram as condições de atendimento, de medicamentos e alimentação adequada para pessoas malnutridas.

Ainda no mesmo período, as autoridades sanitárias registaram 24.673 casos de doenças respiratórias agudas, com 17 mortos, menores de cinco anos, e 16.396 casos de diarreias agudas, que levaram à morte igualmente 12 crianças.

Das estatísticas constam igualmente 26.690 casos de diarreia com sangue, que resultaram em quatro mortes, bem como 1.398 casos de disenteria, 24 de paralisia flácida e três de oncocercose ou cegueira dos rios.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários