Lipoaspiração pode reduzir risco de cancro da pele

Experiência com ratos em laboratório levada a cabo numa universidade nos Estados Unidos da América abre novas perspetivas de prevenção. Mas ainda falta fazer um estudo epidemiológico...

Os resultados de um estudo conduzido pela Rutgers University, em New Jersey, nos Estados Unidos da América, sugerem que remover a gordura abdominal pode diminuir o risco de se desenvolver cancro da pele provocado pela radiação ultravioleta. Durante a análise, que se prolongou por várias semanas, os investigadores estudaram ratos de laboratório alimentados com uma dieta rica em gordura durante um período determinado. Posteriormente, foi-lhes removida a gordura abdominal.

Nessa altura, os especialistas constataram, então, que entre 75 a 80 por cento tinha menos cancro da pele que os outros ratos. O próximo passo será realizar um estudo epidemiológico em pessoas que se submeteram a uma lipoaspiração, para verificar se existe uma menor incidência deste tipo de cancro da pele nesse grupo. Anualmente, registam-se mais 10.000 casos de cancro de pele em Portugal. Cerca de 20% dos melanomas detetados são fatais.

artigo do parceiro:

Comentários