Legionella causou 12 mortos e 375 doentes, oito ainda hospitalizados

O surto de legionella registado a partir de 07 de novembro no concelho de Vila Franca de Xira causou 12 mortos e 375 doentes, encontrando-se ainda hoje hospitalizadas oito pessoas, segundo o relatório final do surto.
créditos: JOÃO RELVAS/LUSA

O documento divulgado na segunda-feira, subscrito pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), refere que estão ainda “sujeitos a investigação epidemiológica ou laboratorial 40 casos adicionais”, na sequência do surto da doença dos legionários ('legionella').

O surto de legionella foi identificado a 07 de novembro passado em freguesias do concelho de Vila Franca de Xira e controlado em duas semanas, por especialistas da DGS, do INSA e da ARSLVT.

“Ficou demonstrada a correspondência da estirpe de bactérias isoladas numa das torres de arrefecimento de uma unidade fabril local, com a estirpe identificada em secreções brônquicas de doentes”, lê-se no documento.

A 21 de novembro, no final da última reunião do grupo de trabalho constituído pelo Ministério da Saúde para acompanhar o surto, o diretor-geral da Saúde disse que as bactérias encontradas em doentes com ‘legionella’ são semelhantes às detetadas numa torre de refrigeração da empresa Adubos de Portugal.

Segundo o documento hoje revelado, a idade média dos doentes foi de 58 anos e, dos 375 casos, 251 (67 por cento) são do sexo masculino e 124 (33 por cento) do sexo feminino.

A maioria dos doentes, 78 por cento, residem em Vila Franca de Xira, 11 por cento no concelho de Loures e 11 por cento habitam em outras freguesias.

Comentários