Investigadores portugueses identificam mecanismo do cancro do estômago

Estudo será publicado na revista ‘Gut’

Um dos motivos implicados nas lesões de metaplasia intestinal no estômago foi identificado por um grupo de investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP).

O estudo será publicado na revista “Gut”. A descoberta, segundo conta uma notícia veiculada pela agência Lusa, permitiu a identificação de uma proteína que, associada à propagação de uma metaplasia intestinal no estômago (lesão pré-cancerosa em que algumas células do estômago são substituídas por células do intestino) comporta um risco significativo de evolução para cancro gástrico.

Quando esta lesão está presente, as tentativas de controlar a progressão do cancro gástrico têm sido ineficazes, razão pela qual o grupo considera necessária “uma compreensão mais fundamental do processo”. No estudo é, então, descrita a descoberta de um dos motivos pelos quais as lesões de metaplasia intestinal no estômago são irreversíveis, sendo demonstrado que a proteína (CDX2) regula a própria lesão, perpetuando-a.

A descoberta torna-se num alvo com interesse terapêutico para parar, reverter ou prevenir o processo de desenvolvimento de cancro do estômago.

30 de Dezembro de 2010

Fonte: ALERT

Comentários