Investigador português recebe 2 milhões para estudar organização da memória

Os dois milhões de euros atribuídos pelo ERC serão aplicados em equipamento, tecnologia e na equipa
14 de janeiro de 2014 - 11h01



Um investigador da Fundação Champalimaud vai receber um financiamento europeu de cerca de dois milhões de euros para estudar o mecanismo do cérebro que organiza as memórias, foi hoje anunciado.



Rui Costa, que é investigador principal do Programa de Neurociências da Fundação Champalimaud, vai receber um financiamento de cerca de dois milhões de euros, atribuído pelo European Research Council (ERC), para estudar, durante os próximos cinco anos, "as bases neurais do processo de chunking", refere um comunicado da fundação.



'Chunking', que em português significa organizar em módulos ou parcelas, é um mecanismo que permite organizar memórias e ações de forma eficiente no cérebro.



Por exemplo, no caso de um número de telefone (351962752183) a sua organização em pequenas parcelas (351 96 275 2183) tornará mais fácil a sua memorização.



“O chunking é um mecanismo que nos permite organizar memórias e ações de forma eficiente. Sabe-se que os circuitos neuronais dos gânglios da base são importantes para este processo, no entanto, sabe-se ainda muito pouco sobre como é os elementos individuais destes circuitos neuronais estão ligados entre si”, explicou Rui Costa.



Para o investigador, "é fundamental perceber quais são, ao nível neuronal, as unidades-base deste processo. Com este projeto iremos dissecar, com uma precisão espacial e temporal sem precedentes, o papel dos sub-circuitos dos gânglios da base no processo de chunking”.



Os dois milhões de euros atribuídos pelo ERC serão aplicados em equipamento, tecnologia e numa equipa de cerca de 20 pessoas que apoiarão a realização deste projeto.



SAPO Saúde com Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários