Interior disputa médicos com Litoral e agora também com França

O interior do país, que há anos luta por atrair médicos, tem que disputar os clínicos com o litoral português mas agora também com outros países, como a França, de onde chegam propostas com salários superiores.
créditos: MARIO CRUZ/LUSA

O Orçamento do Estado (OE) para 2015 introduz o pagamento de incentivos para atrair médicos para zonas mais desfalcadas do país. Os prémios, que serão pagos de forma pecuniária e somada ao salário, deverão avançar nos próximos concursos de recém-especialistas, mas deverão abranger também médicos com mais anos de profissão.

No entanto, de países europeus, como França, onde desde 2006 se verifica uma enorme carência de médicos, têm surgido várias propostas de trabalho para os clínicos portugueses.

Uma das empresas que está atualmente a recrutar é a francesa Medicis Consult, que propõe salários que, mediante os anos de experiência, podem chegar aos 6.200 euros líquidos mensais.

Madalina Codica, sócia-gerente da Medicis Consult, disse hoje à agência Lusa que esta empresa se baseia na tabela nacional de salários, mas acrescentou que são oferecidos incentivos como seguros de saúde privados para os médicos e família, formações gratuitas, sistema de “tutorado” com um colega do serviço durante as primeiras semanas e apoio na procura de casa e de escola para os filhos.

Em Portugal, esta empresa procura sobretudo médicos especialistas em medicina do trabalho, anestesiologia, gastroenterologia, cardiologia, urologia e ginecologia-obstetrícia para trabalharem em clínicas e hospitais do setor público e privado.

Segundo a responsável, a França procura também especialistas em medicina geral, especialmente para trabalharem nos meios rurais.

Interior preocupado

Se estas solicitações de trabalho vindas do exterior são incentivadoras para os estudantes de medicina, elas são encaradas com alguma preocupação pelas unidades de saúde e autarcas que já anos reivindicam mais médicos no interior do país.

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Humberto Cerqueira, encetou uma luta pela colocação de mais médicos no centro de saúde local, um problema que está sanado, no entanto, agora alerta para a falta de acesso da população às especialidades.

Comentários