Instituto do Sangue abre a porta à dádiva de homossexuais

Grupo de trabalho que estudou o tema chegou a acordo: a exclusão de homo e bissexuais nas dádivas de sangue pode passar a temporária.

Ainda não está concluído o relatório do grupo criado pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) para rever os critérios da dádiva de sangue por homo e bissexuais, mas o texto final foi genericamente aprovado na semana passada e a versão definitiva deverá ser redigida nos próximos dias, avança o jornal Público.

O relatório será enviado ao ministro da Saúde, que poderá ou não aceitar as recomendações.

Atualmente, homossexuais e bissexuais estão proibidos de dar sangue em Portugal, apesar de uma resolução da Assembleia da República aprovada em 2010 recomendar ao governo a "elaboração e divulgação de um documento normativo" que "proíba expressamente a discriminação dos dadores de sangue com base na sua orientação sexual".

Desde 2011, o Reino Unido autoriza homo e bissexuais a dar sangue desde que estejam pelo menos 12 meses sem praticar sexo anal, com ou sem preservativo.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários