Infeciologista dos HUC alerta para aumento da tuberculose devido à fome

Especialista afirma que situação “não é de alarme”, mas sim “de consciencialização”

O médico Meliço Silvestre alertou hoje para o possível aumento de casos de tuberculose devido ao eventual agravamento das condições sanitárias e de fome provocado pela crise que Portugal atravessa.

O infeciologista dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) adiantou que a situação “não é de alarme”, mas sim “de consciencialização”, sendo necessário estar “atentos”.

“Caso se criem condições sociais de carência muito grande alimentar pode haver focos e zonas em que as condições sanitárias sejam tão degradadas que possam levar a condições propícias a desencadear a tuberculose e, muitas vezes, em formas multirresistentes”, disse à agência Lusa Meliço Silvestre, a propósito do quarto congresso “Pandemias na Era da Globalização” e do simpósio “Medicina do Viajante”, que decorre entre quinta-feira e sábado, em Coimbra.

O médico sublinhou que “a história contemporânea aponta para uma atenção especial a certa situações que possam vir surgir”, como “focos de fome que possam levar à degradação das condições de nutrição e sanitárias”.

Para que não haja um aumento de casos de tuberculose no futuro, Meliço Silvestre defendeu que se deve fazer uma “prevenção demarcada”, ter um “conhecimento total das pessoas e evitar que haja fome”,

O especialista afirmou que os médicos e autoridades sanitárias estão atentos a esta situação.

O infeciologista dos Hospitais da Universidade de Coimbra disse ainda que há focos de tuberculose em certas zonas do país.

15 de junho de 2011

Fonte: Lusa/SAPO


Comentários