Infarmed alerta que há mais lotes falsificados de medicamento para o cancro da mama

Herceptin é um fármaco intravenoso administrado em meio hospitalar
23 de abril de 2014 - 09h33



A autoridade que regula o setor do medicamento fez novo alerta a propósito da existência de mais lotes falsificados de um medicamento contra o cancro da mama.



O alerta do Infarmed surge após a informação da Agência Europeia do Medicamento (EMA) que dá conta de embalagens falsificadas do medicamento Trastuzumab, cujo nome comercial é o Herceptin.



O Herceptin é um fármaco administrado em meio hospitalar e as embalagens falsificadas resultaram de produto roubado em Itália, incluindo de hospitais, o qual foi falsificado e reintroduzido no mercado.



De acordo com o Infarmed, são nove os lotes falsificados (H4311B07, H4329B01, H4284B04, H4319B02, H4324B03, H4196B01, H4271B01, H4301B09, H4303B01 e agora tamém os H4143B01, H4293B01, H4180B01 e N1010B02).



“As entidades que eventualmente tenham adquirido estes lotes de medicamento não devem proceder à sua venda, dispensa ou administração, devendo comunicar de imediato ao Infarmed”, lê-se no alerta deste organismo.




Apesar de não ter sido detetada a existência de medicamentos destes lotes em Portugal, e atendendo a que este medicamento é utilizado apenas em meio hospitalar, as entidades que eventualmente tenham adquirido estes lotes de medicamento não devem proceder à sua venda, dispensa ou administração, devendo comunicar de imediato ao Infarmed.



A autoridade que regula o setor do medicamento alertou no passado dia 15 de abril para a existência de lotes falsificados de um medicamento contra o cancro da mama.


SAPO Saúde

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários