INEM alerta para cuidados a ter com o tempo frio

10/01/2012 - 14h20

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) alertou esta quinta-feira para os principais problemas de saúde relacionados com o frio e dá recomendações sobre como atuar em casos de emergência causados pelas baixas temperaturas, como hipotermia e queimaduras.


O alerta do INEM surge na sequência do anúncio do Instituto de Meteorologia de uma descida das temperaturas mínimas, quatro a seis graus abaixo da média da época, a partir de sábado, devido a uma massa de ar frio que vai atingir Portugal Continental.



O INEM refere que as crianças e os idosos são grupos particularmente vulneráveis, mas qualquer um pode ser afetado, e avisa que “a exposição a baixas temperaturas, no interior e no exterior, podem causar riscos sérios ou letais para a saúde”.



“Embora permanecer em casa o maior tempo possível ajude a reduzir o risco de acidente de automóvel e quedas, poderá também enfrentar riscos domésticos”, refere em comunicado.

O instituto divulga as “emergências médicas relacionadas com o frio”, como a hipotermia, em que o corpo perde calor mais depressa do que o que consegue produzir e fica com uma temperatura excessivamente baixa. Esta situação afeta o cérebro fazendo com que a vítima não pense claramente nem se mova com a facilidade habitual, o que torna “a hipotermia particularmente perigosa pois a pessoa poderá não se aperceber da sua situação”.

Grupos vulneráveis

São geralmente vítimas de hipotermia os idosos com fraca alimentação, roupa ou aquecimento, os bebés que dormem em quartos frios, pessoas que permanecem por períodos prolongados no exterior, sem abrigo, montanhistas, caçadores e consumidores de álcool ou drogas.


Sinais de hipotermia


Os sinais de aviso de hipotermia nos adultos são tremores, exaustão, confusão, mãos inquietas, perda de memória, fala “lenta” e confusa, sonolência. Nas crianças são pele muito vermelha e fria e apatia.



No caso da existência de vítimas, O INEM aconselha a colocar a pessoa num quarto quente ou num abrigo, retirar roupa molhada, aquecer a parte central do corpo, utilizando um cobertor, e dar bebidas quentes e nunca alcoólicas.



As queimaduras são outras causas do frio. São “lesões causadas por congelação, que condicionam perda de sensibilidade e de cor nas zonas afetadas”. Estas queimaduras atingem mais frequentemente o nariz, orelhas, bochechas, queixo, dedos das mãos e dos pés.



“O risco de queimaduras aumenta nas pessoas com insuficiência vascular e em pessoas vestidas desadequadamente para temperaturas frias”, adianta o INEM.



Ao primeiro sinal de vermelhidão ou dor em qualquer zona da pele, a pessoa deve sair do frio e proteger a pele. Em caso de queimadura, a pessoa deve procurar ajuda médica.



Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários