Idosos carenciados dos Açores vão ter acesso a teleassistência

A Câmara Municipal do Nordeste, nos Açores, celebra esta segunda-feira um protocolo para aplicar no concelho um projeto de teleassistência destinada a idosos carenciados e em situação de emergência ou isolamento.
créditos: Pixabay

Em declarações à agência Lusa, o presidente do município, na ilha de São Miguel, Carlos Mendonça, afirmou que se pretende com esta iniciativa “combater o isolamento dos idosos” e “afastar o seu internamento precoce” em lares, num dos concelhos mais envelhecidos dos Açores.

A iniciativa, denominada “Isolamento Zero”, pretende também promover a qualidade de vida dos idosos, integrando-se no âmbito do projeto da autarquia “Dar vida aos anos”, destinado a pessoas com mais de 65 anos.

Carlos Mendonça referiu que no âmbito da iniciativa o município detém parcerias com empresas que preveem apoios na aquisição de bens de primeira necessidade, bem como um apoio anual de 50 euros para a compra de medicamentos nas farmácias do concelho, a par de visitas de assistentes sociais ao domicílio dos idosos e pequenas reparações nas suas habitações.

O protocolo, a assinar com a Fundação Portugal Telecom, estabelece que esta entidade assegure a comparticipação dos custos referentes a 50% das 24 mensalidades relativas ao serviço de teleassistência, até ao limite de 30 beneficiários, o que equivale a um encargo de 1.487 euros, enquanto a câmara municipal suporta os custos relativos aos restantes 50% das mensalidades.

O autarca explicou que a teleassistência consiste num aparelho de alerta que será disponibilizado ao idoso, ligado 24 horas por dia a uma central e associado a uma equipa da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Nordeste, que dará uma resposta quando for feito um pedido de socorro por parte dos beneficiários.

O município de Ponta Delgada foi o primeiro a aderir à teleassistência nos Açores, em 2013, também ao abrigo de uma parceria com a Fundação Portugal Telecom.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários