HSA remodela as instalações de hidroterapia do serviço de Medicina Física e de Reabilitação

Uma mais-valia a nível técnico, conforto e segurança para os utentes

O Hospital de Santo André (HSA) vai avançar com as obras de remodelação das instalações de hidroterapia e áreas complementares do serviço de Medicina Física e de Reabilitação, no âmbito das obras de recuperação do interior do hospital e da “Reabilitação Estrutural do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação”.

«É claramente uma mais-valia a nível terapêutico para os doentes e para o serviço que os trata», sublinha Lília Martins, directora do serviço, opinião que é apoiada por Hélder Roque, presidente do Conselho de Administração do HSA, que destaca «as vantagens em termos de conforto e bem-estar para os doentes, que assim, a par das obras que já foram feitas neste serviço, poderão ter acesso a um tratamento mais completo, com condições técnicas e humanas adequadas».

Este projecto «justifica-se pelo facto de as condições existentes nas actuais instalações não serem minimamente adequadas ao seu funcionamento, o que acontece, aliás, já há largos anos», refere Hélder Roque. Após um levantamento exaustivo das condições actuais das instalações de hidroterapia, verificaram-se algumas anomalias, designadamente a obsolescência e subdimensionamento dos equipamentos, instalações eléctricas com elevado grau de degradação, deficiências térmicas e de climatização, bem como acessos desadequados, condições estas que estiveram na origem do encerramento das instalações há vários anos.

A necessidade de remodelação destas instalações é ainda justificada por Lília Martins, que explica que «a hidrocinesiterapia traz um desenvolvimento notável à capacidade de intervenção deste serviço, nomeadamente técnica, alargando o leque de patologias a tratar, por exemplo, ao nível das patologias traumáticas do aparelho locomotor, possibilitando uma evolução mais célere na reabilitação dos doentes». Do ponto de vista da gestão do serviço, «permitirá incrementar a rentabilidade do trabalho, uma vez que será possível ter vários doentes em tratamento no mesmo período, com o mesmo terapeuta», acrescenta a directora.

A nova unidade de hidroterapia será mais funcional e terá algumas valências suplementares. A piscina será dotada de equipamentos hidroterapêuticos, todos com funcionamento individualizado, de forma a permitir uma maior racionalização dos consumos energéticos; três dispositivos de elevação para colocação e remoção dos doentes, quer tenham autonomia ou incapacidade motora; um ginásio complementar; balneários ampliados, adequados às necessidades dos profissionais; instalações sanitárias dos utentes remodeladas; entre outras inovações e melhoramento a nível técnico.

O concurso público para a empreitada de remodelação das instalações de hidroterapia e áreas complementares do serviço de Medicina Física e de Reabilitação vai ser lançado brevemente, e as obras deverão iniciar-se assim que se proceder à adjudicação da proposta seleccionada. As obras de empreitada têm um prazo previsto de execução de oito meses, prevendo-se que daqui a um ano as instalações já estejam a funcionar em pleno.

03 de fevereiro de 2011

Fonte: MidlandCom

Comentários