Hospital de São João com nota máxima em ginecologia, neurologia e obstetrícia

Santa Maria, o maior hospital do país, obteve avaliação intermédia na obstetrícia
23 de abril de 2013 - 17h03



O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, obteve a classificação máxima na área da segurança do doente e o Hospital de São João, no Porto, teve excelência clínica em ginecologia, neurologia e obstetrícia, segundo uma avaliação do regulador.



Os dados constam do relatório do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), hoje tornado público pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), que anualmente faz uma avaliação da qualidade global dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde com internamento.



Ao nível da excelência clínica, Santa Maria, o maior hospital do país, obteve uma avaliação intermédia (nível 2) na obstetrícia e na pneumonia em pediatria e foi classificado com o nível máximo (nível 3) nos procedimentos de segurança do doente.



O SINAS não aferiu a qualidade clínica nas áreas de cardiologia, neurologia, ortopedia e cuidados neonatais, por o hospital não ter fornecido os elementos necessários para a avaliação.



Também na região de saúde de Lisboa e Vale do Tejo, o Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, mais conhecido por Hospital Amadora-Sintra, teve classificação intermédia nas áreas de cardiologia, cirurgia de ambulatório, cuidados intensivos, ginecologia, neurologia, obstetrícia, ortopedia e pediatria, todas dentro do item excelência clínica.



No item segurança do doente, o hospital obteve igualmente a classificação intermédia.



Em relação ao Hospital Garcia de Orta, esta unidade hospitalar alcançou o nível intermédio de excelência clínica na cardiologia, na cirurgia de ambulatório, nos cuidados intensivos, na ginecologia, na neurologia, na obstetrícia, na ortopedia e na pediatria.



Tal como o Amadora-Sintra, este hospital em Almada ficou-se pela classificação intermédia na segurança do doente.



Porto



O Hospital de São João, no Porto, dentro do parâmetro excelência clínica, teve direito a nota máxima na área de ginecologia, neurologia e obstetrícia, e a nota intermédia na área de ortopedia, não tendo fornecido dados para avaliação em pediatria e cardiologia.



O Hospital de São João obteve ainda classificação intermédia no item segurança do doente.



No centro do país, o Centro Hospitalar de Coimbra, Hospitais da Universidade de Coimbra, no item de excelência clínica, conseguiu uma classificação máxima na cirurgia de ambulatório, intermédia nos cuidados intensivos, na ginecologia, neurologia e ortopedia, e classificação base na área de cirurgia vascular.



Já na área de cardiologia, o hospital não forneceu os dados necessários.



Este centro hospitalar obteve ainda uma classificação base no item segurança do doente.



No Alentejo, o Hospital do Espírito Santo, em Évora, recusou a avaliação em matéria de excelência clínica, exceto na área de neurologia, onde obteve uma classificação intermédia, nota obtida igualmente no item segurança do doente.



No Algarve, o Hospital de Faro teve a nota máxima nas áreas de ginecologia e cirurgia de ambulatório, e nota intermédia nas áreas de cardiologia, cirurgia geral, cuidados intensivos, neurologia, obstetrícia, ortopedia e pediatria. Teve também nota máxima no item segurança do doente.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários