Hospital de S. João aguarda autorização para obras no edifício principal

O Centro Hospitalar de S. João, no Porto, aguarda a autorização do Ministério das Finanças para lançar o concurso público relativo à requalificação dos pisos sete e oito do edifício principal, obra orçada em 6,5 milhões de euros.

A concretização desta empreitada vai permitir o regresso ao edifício principal do Serviço de Neurocirurgia, a funcionar há mais de cinco anos em contentores.

O administrador executivo, João Oliveira, disse à Lusa que estas obras, previstas no plano estratégico do Centro Hospitalar de S. João, foram homologadas em novembro pelo Ministério da Saúde, faltando agora a autorização do Ministério das Finanças para que o processo avance.

“Estamos a aguardar desde novembro a autorização para podermos lançar o concurso público”, afirmou o administrador.

João Oliveira referiu que com esta intervenção o Serviço de Neurocirurgia ficará com 31 camas e o serviço de Hematologia com 23, ambos no piso oito. O piso sete acolherá 15 camas do Serviço de Neurologia.

A segunda fase de desenvolvimento do Plano Estratégico do Centro Hospitalar de S. João arrancou em julho de 2014.

O anúncio da decisão de prosseguir com o plano estratégico surgiu depois de uma reunião do presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar de S. João, António Ferreira, com o Ministério da Saúde, para analisar as reivindicações dos 66 diretores do S. João que se encontravam demissionários desde junho de 2014.

"A impossibilidade da implementação do desenvolvimento estratégico do Centro Hospitalar de São João" foi uma das razões apontadas para a demissão conjunta.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários