Hospitais do Centro poupam 4,6 ME em negociação conjunta de medicamentos

Já em 2012, a ARS do Centro tinha negociado com laboratórios, poupando 1,6 milhões de euros
26 de novembro de 2013 - 17h38



Os hospitais da região Centro estimam poupar cerca de 4,6 milhões de euros ao negociarem em conjunto a compra de medicamentos em que a referência é exclusiva de laboratórios.



A negociação conjunta de medicamentos foi protocolada hoje, por volta das 15:30, na sede da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, em Coimbra, contando com a presença dos treze hospitais envolvidos, nove Entidades Públicas Empresariais (EPE) e quatro hospitais do setor público administrativo.



O presidente da ARS do Centro, José Tereso, disse que o valor total da encomenda fixa-se nos 65 milhões de euros, tendo sido adquiridas 236 referências de medicamentos a 19 laboratórios diferentes, sendo possível poupar ainda mais 1,6 milhões de euros caso se aumente as aquisições deste tipo de medicamentos.



A compra de medicamentos da qual a referência é exclusiva de determinado laboratório farmacêutico representa "cerca de 50% a 60%" do valor global da aquisição de medicamentos por parte de hospitais, explicou José Tereso.



Apesar da negociação conjunta, o presidente da ARS do Centro salientou que "o pagamento é autónomo".



"Este protocolo mostra que se podem implementar medidas para dar a melhor assistência médica possível à população, garantindo maior eficiência, uma rentabilização dos recursos e menos custos nas encomendas", frisou José Tereso, referindo que esta é a única ARS a negociar conjuntamente os medicamentos.



Já em 2012, a ARS do Centro tinha negociado em conjunto 15 referências de moléculas de medicamentos com cinco laboratórios, poupando 1,6 milhões de euros.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários