Hormona que diminui a fome torna-se ineficaz nos obesos

Glucagon deixa de informar o corpo sobre a necessidade de libertar açucar para a corrente sanguínea
22 de agosto de 2013 - 16h22
A hormona glucagon é um dos responsáveis por ajudar a controlar o apetite das pessoas, mas perde a capacidade de ativar a sensação de saciedade junto da população obesa, revelou um estudo na Alemanha. 
A descoberta pode ajudar a explicar a grande dificuldade que indivíduos com excesso de peso têm em emagrecer. O estudo foi divulgado na terça-feira na publicação médica The Endocrine Society Clinical Endocrinology & Metabolism.
O glucagon é segregado pelo pâncreas e a sua principal função no organismo é sinalizar os níveis de glicose no sangue estão baixos e que é preciso libertar açúcar armazenado. Esta hormona tem a função contrária à insulina, esta também segregada pelo pâncreas mas com a função diminuir a taxa de glicose na corrente sanguínea.
Há cada vez mais evidências de que o glucagon também desempenha um papel importante na regulação do apetite. 
Aparentemente, esta hormona envia ao corpo o sinal de que é preciso reduzir a secreção de hormonas que aumentam a fome, como a grelina. “Quando uma pessoa se torna obesa, o glucagon deixa de induzir a sensação de saciedade”, diz o coordenador do estudo, Ayman Arafat, investigador do Hospital Universitário Charité, em Berlim.
A investigação conduzida por de Arafat foi feita com 11 pessoas obesas, 13 pessoas com diabetes tipo 1 e 13 pessoas saudáveis e magras. 
O objetivo de analisar indivíduos com diabetes tipo 1 era perceber se a doença interfere na ação do glucagon, uma vez que, em pessoas com a patologia, o pâncreas deixa de produzir quantidade suficiente de insulina. Os investigadores queriam saber se a doença também prejudicava a produção do glucagon, o que não se verificou. Ou seja, os problemas com a resposta a esta hormona acontecem exclusivamente por causa do excesso de peso.
Estudo
Os participantes receberam injeções de glucagon e de placebo e davam indicações sobre a fome que sentiam. A equipa analisou os níveis de grelina para medir o apetite dos voluntários. 
De acordo com os resultados, a sensação de saciedade entre os participantes obesos manteve-se inalterada quando recebiam glucagon ou placebo.
Os outros voluntários referiram sentir mais saciedade quando receberam a hormona em comparação com o placebo. 
SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários