Habitantes de Fornos de Algodres vão passar a ter um "Serviço Voz Amiga"

A Câmara Municipal de Fornos de Algodres anunciou que decidiu alargar o serviço de teleassistência municipal de apoio a idosos que vivem isolados com o objetivo de combater a solidão.

O município, em parceria com a empresa Helpphone, tem a funcionar, desde 2014, um programa de Teleassistência Municipal, que abrange atualmente 16 idosos, que passa a disponibilizar, a partir da próxima semana, o "" a todos os utentes.

Segundo a autarquia de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda, "a partir da próxima semana todos os utentes passarão a usufruir de três chamadas gratuitas semanais, por parte dos operadores da Helpphone, sendo o objetivo dessas chamadas, verificar se está tudo bem com os utentes (a sua maioria idosos isolados) e o estabelecimento de pequenas conversas que auxiliam no combate à solidão".

"Este é um projeto iniciado em 2014, que se tem constituído como um importante instrumento de apoio à população mais vulnerável do nosso concelho", salienta o município de Fornos de Algodres em nota enviada à agência Lusa.

Maior conquista é a segurança

O vereador Alexandre Lote, com o pelouro da Ação Social, Saúde e Qualidade de Vida, disse que o "Serviço Voz Amiga" do programa de teleassistência vai ser alargado a todos os idosos por ser "o serviço mais valorizado pelos utentes nas avaliações de satisfação periódicas que o município realiza juntos dos beneficiários".

"Os mesmos transmitiram a importância que este serviço tem no combate à solidão, considerando que esta chamada que visa o estabelecimento de uma conversa informal entre o operador e o utente deveria ser alargada no programa", justifica.

Alexandre Lote faz um balanço "extremamente positivo" do projeto iniciado em 2014, reconhecendo que o município consegue dar resposta mais rápida "a algumas situações que, sem a existência deste programa, teriam uma resposta muito mais demorada". "Para além disso, a maior conquista prende-se com a segurança que é dada, não só aos idosos, como à sua rede de suporte familiar, daí que o projeto esteja a ser tão valorizado pelos beneficiários", sublinha.

Comentários