Grávidas expostas a ar poluído têm bebés mais pequenos

Estudo feito com base em três milhões de nascimentos em 14 cidades de nove países
6 de fevereiro de 2013 - 10h41



As mulheres grávidas expostas a gases poluentes sofrem um risco mais elevado de dar à luz uma criança com baixo peso, indica estudo internacional publicado esta quarta-feira nos Estados Unidos.



Os cientistas constataram que quanto mais alta for a taxa de poluição, mais elevada será a taxa de nascimento de crianças com baixo peso.



"São níveis de poluição do ar aos quais estamos todos expostos no mundo", afirma uma das autoras do relatório, Tracey Woodruff, professora de ginecologia e de ciência da reprodução na Universidade da Califórnia, em São Francisco.



Um baixo peso no nascimento é descrito como sendo inferior a 2,5 kg e está vinculado a maiores riscos de doenças e mortalidade infantil, assim como futuros problemas crónicos de saúde, destaca Payam Dadvand, do Centro de Pesquisa em Epidemiologia Mental em Barcelona, um dos co-autores da investigação.



Woodruff destacou que os países que têm normas mais rígidas para limitar a emissão de gases poluentes de carros e fábricas tendem a registar níveis mais baixos de poluição atmosférias.



O estudo foi feito com base em três milhões de nascimentos em 14 cidades de nove países da América, África do Sul, Europa, Ásia e Austrália, entre 1990 e 2000.



As partículas poluentes que se encontram no ar são medidas em microgramas por metro cúbico de ar. Nos Estados Unidos, as normas federais limitam a concentração média anual a 12 microgramas/m3. Já na União Europeia, o limite é de 25 microgramas/m3 e em Pequim foram medidos mais de 700 microgramas/m3.



"Estes níveis são insustentáveis para a saúde pública mundial", destaca Mark Nieuwenhuijsen, outro responsável pelo estudo, cita a agência France Presse.



O estudo foi publicado pela revista médica Environmental Health Perspectives.



SAPO Saúde com AFP


artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários