Freguesia da Nazaré exige reabertura do polo de saúde fechado desde 2011

A Assembleia Municipal da Nazaré aprovou uma moção em que a população exige ao Governo a reabertura do Centro de Saúde de Famalicão, encerrado desde 2011 por falta de médico e pessoal administrativo.

“A população está revoltada e indignada por, até à presente data, não ter sido solucionado este problema”, refere uma moção que exige a reabertura do polo de Famalicão (no concelho da Nazaré) da Unidade de Saúde.

A moção, aprovada por unanimidade na Assembleia Municipal de terça-feira à noite, foi proposta pela junta de freguesia de Famalicão, no distrito de Leiria, onde “corre um abaixo-assinado para resolver o problema que afeta a população que tem que se deslocar à Nazaré para ser atendida pelo médico”, disse à Lusa o presidente da junta, José Filipe (PS).

De acordo com o autarca a situação “arrasta-se desde 2011” quando o polo de saúde foi encerrado por “falta de médico e enfermeiro”.

A falta do médico acabou por ser colmatada com a contratação de um clínico que está a dar as consultas na Nazaré, disse o autarca, lembrando que não há pessoal administrativo suficiente.

Além do abaixo-assinado em que a população exige a reabertura do polo em regime de permanência, a junta vai agora enviar ao Ministério da Saúde a moção em que exige “o fim da situação de discriminação que se vive na freguesia” com mais de 1.400 habitantes, dos quais cerca de 900 inscritos como utentes daquela extensão de saúde.

Para isso pretendem a “vinculação de pessoal administrativo adequado” num prazo de 30 dias, após os quais será promovida “uma mobilização da população para fazer valer a defesa dos seus direitos numa manifestação” a realizar junto à residência do primeiro-ministro, conclui a moção.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários