Farmácias podem vir a ser compensadas se venderem mais genéricos

Prioridade do ministério é garantir acesso dos portugueses aos cuidados de saúde, diz ministro
17 de maio de 2013 - 14h28
O ministro da Saúde admitiu hoje compensar as farmácias se estas contribuírem com o aumento da quota dos medicamentos genéricos, mas pôs de parte a hipótese de aumentar as margens de lucro destes estabelecimentos.
Paulo Macedo falava aos jornalistas no final da cerimónia de tomada de posse dos novos órgãos sociais da Associação Nacional de Farmácias (ANF), durante a qual o novo presidente, Paulo Duarte, propôs a celebração de um novo contrato social com o Governo.
Perante esta proposta, o ministro recordou a situação económico-financeira do país, que disse justificar as medidas concretizadas até agora no setor, das quais afirma não se arrepender.
Paulo Macedo disse mesmo que a prioridade da política do ministério foi e é garantir o acesso dos portugueses aos cuidados de saúde, apesar de compreender a situação difícil em que se encontra o setor das farmácias em Portugal.
Lusa
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários