Falta de médicos obriga governo a recrutar 400 clínicos aposentados

“Este regime não resolve a falta de médicos, mas atenua as dificuldades”, diz secretário de Estado
26 de junho de 2013 - 14h55



O secretário de Estado da Saúde, Manuel Teixeira, revelou hoje que desde 2010 foram contratados 400 médicos aposentados que contribuíram para “atenuar as dificuldades” da falta de clínicos, embora não os tenha resolvido.



Perante os deputados da Comissão Parlamentar de Saúde, onde está a acompanhar o ministro da Saúde numa audição, Manuel Teixeira disse que o decreto-lei que permite a contratação de médicos aposentados foi prorrogado por mais três anos.



Esta prorrogação permite a contratação de 200 médicos aposentados.



O governante adiantou que este recurso “tem dados alguns resultados”, embora o número de vagas nunca fique totalmente preenchido.



“Este regime não resolve a falta de médicos, mas atenua as dificuldades”, disse.



Aprovado pelo governo socialista em março de 2010, o regime excecional para a simplificação da contratação de médicos aposentados é uma medida que abrange todas as unidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS).



Na altura, o PSD considerou que a aprovação deste regime significava "impostos em dobro" para os portugueses e um sinal de "péssima gestão" que o Governo deu, segundo disse então a deputada do PSD Rosário Águas.



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários