Venda de fármacos e dispositivos médicos portugueses está a aumentar

As exportações ligadas ao setor da saúde cresceram 17,2% no primeiro semestre de 2014, face a igual período de 2013, indica uma análise do Health Cluster Portugal (HCP).

Entre janeiro e junho de 2014, as vendas no setor da saúde para o estrangeiro ascenderam a 599 milhões de euros, face a 511 milhões registados nos primeiros seis meses de 2013, mostram dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) analisados pelo HCP, uma associação privada sem fins lucrativos que representa 140 entidades ligadas ao setor da saúde, incluindo empresas, universidades e hospitais.

“Todas as áreas do setor da saúde têm demonstrado uma bela performance, no entanto são os medicamentos que têm registado um índice de crescimento maior”, destaca o presidente da direção do HCP, Luís Portela, numa nota enviada à agência Lusa.

Assim, a maior fatia dos 599 milhões de euros de exportações no primeiro semestre, 419 milhões de euros, diz respeito a preparações farmacêuticas, indica o mesmo responsável.

Já os instrumentos e material médico-cirúrgico correspondem a 132 milhões de euros, os produtos farmacêuticos de base a 41 milhões e outros sete milhões referem-se a equipamentos de radiação, electromedicina e eletroterapêutico, adianta.

Quanto às vendas de empresas portuguesas com sede no estrangeiro, às soluções de ‘e-health’ e aos serviços, não estão incluídas neste valor considerado para as exportações.

Um facto sublinhado pela associação é que “esta tendência positiva tem vindo a ganhar forma nos últimos anos”, com um aumento de 65% nas vendas do setor da saúde para o estrangeiro, entre 2008 e 2013. Nesse último ano, o valor das exportações foi de 1.034 milhões de euros.

Alemanha, França, Reino Unido, Espanha, Bélgica e Estados Unidos são os principais destinos destas vendas, informa ainda o HCP.

A associação tem como meta para o setor da saúde, até 2020, “o lançamento de cinco novos fármacos e 50 dispositivos médicos e métodos de diagnóstico ‘made in Portugal’” e chegar aos 3.000 milhões de euros em volume de negócios, dos quais mais de dois terços correspondentes a exportações.

De acordo com os dados do HCP, os 140 associados que dele fazem parte representam hoje em dia um volume de negócios anual de cerca de 1.800 milhões de euros.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários