Exercício físico previne problemas auditivos

Excesso de peso e obesidade são fatores de risco para a saúde auditiva
21 de julho de 2014 - 11h21



O exercício físico é o “medicamento” natural mais prescrito pela sua capacidade terapêutica e de prevenção.



Tudo são benefícios para quem o pratica: músculos tonificados, melhoria da capacidade respiratória e circulatória, diminuição de gordura e terapia anti-stress com uma eficácia imediata. Mas além disso, fazer desporto previne a perda auditiva, como demonstraram diferentes estudos que assinalam o excesso de peso e a obesidade como fator de risco, especialmente nas mulheres.



Um destes estudos, intitulado Nurses Health Study II, permitiu analisar os dados recompilados de quase 70 mil mulheres. Os investigadores analisaram a informação do índice de massa corporal, circunferência de cintura e atividade física.



Os resultados foram ilustrativos: nas mulheres com um índice de massa corporal entre 30 e 34, o risco relativo de padecer de perda auditiva é 17% maior, e se este índice é de 40 ou superior, o risco é de 25% maior do que em comparação com as mulheres cujo índice de massa corporal é menor a 25.



Ainda assim, em mulheres com uma circunferência de cintura de 80 a 88 cm, o risco relativo de sofrer de perda de audição era 11% maior; se o seu contorno de cintura fosse superior a 88 cm, o risco ascendia até 27% em comparação com mulheres cuja circunferência de cintura fosse inferior a 71 cm.



“Estas investigações mostram que para cuidar do nosso ouvido não basta apenas protegê-lo do excesso de decibéis. Uma boa alimentação e a prática de exercício diário são chaves para evitar problemas circulatórios que, curiosamente se manifestam primeiro no ouvido. Uma elevada taxa de gordura pode ocasionar problemas como ruídos ou zumbidos no ouvido (acufenos) e diminuição na capacidade de distinguir sons (hipoacusia)”, referiu Alexandra Marinho, audiologista da GAES – Centros Auditivos.



Por SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários