EUA: Seguros de saúde passam a cobrir métodos contracetivos

Empresas são obrigadas a oferecer serviço de saúde aos funcionários a partir de janeiro

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitou, esta quarta-feira, bloquear a cobertura de métodos contracetivos pelos seguros de saúde que as empresas terão de oferecer aos funcionários a partir de 01 de janeiro de 2013.

A juíza Sonia Sotomayor, nomeada pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, que está responsável pelos casos de emergência que chegam ao tribunal, rejeitou o pedido apresentado por duas empresas, a cadeia de lojas Hobby Lobby e a cadeia de livrarias cristãs Mardel.

Estas empresas reivindicavam o bloqueio temporário da medida até que os casos que fizeram chegar a tribunais federais fossem resolvidos, alegando que a cobertura dos métodos contracetivos pelos seguros de saúde que terão de oferecer aos seus funcionários viola a sua liberdade religiosa.

27 de dezembro de 2012

@Lusa

Comentários