Estudo: 83% dos homens com cancro da cabeça e pescoço fumam

Tabaco de bebidas alcoólicas em excesso continuam a ser grandes fatores de risco no cancro
18 de março de 2014 - 10h39
Um levantamento feito no Brasil pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) descobriu que 83% dos homens com cancro da cabeça e pescoço são ou foram fumadores. Do total, 60% das vítimas sofrem de tumores na boca e 40% na laringe ou faringe.
Além do tabagismo, o consumo excessivo de álcool também está associado ao desenvolvimento desse tipo de cancro, sendo que 60% dos pacientes enquadram-se no caso, de acordo com o médico Marco Aurélio Kulcsar, chefe da Clínica da Cirurgia de Cabeça e Pescoço do ICESP, lê-se numa nota de imprensa do instituto.
Segundo o especialista, estes tumores são passíveis de deteção precoce, por estarem em regiões visíveis, mas muitas vezes os sintomas passam despercebidos. 
Sintomas e prevenção
O cancro da cabeça e pescoço afeta áreas diretamente envolvidas com as funções da fala, deglutição, respiração, paladar, olfato e outros. Entre os sintomas estão manchas brancas na boca, dor, lesão ulcerada, nódulos no pescoço presentes durante mais de duas semanas, mudanças na voz ou rouquidão persistente e dificuldade para engolir.
O potencial de prevenção é alto, devido à relação com o tabagismo e etilismo. Medidas simples como não fumar, nem consumir bebidas alcoólicas em excesso, além de dar preferência a alimentos pobres em gordura e ricos em fibras, ajudam a evitar o desenvolvimento dos tumores.
SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários