Especialistas e deputados debatem hoje o álcool e os jovens na Assembleia da República

A venda de vinho e cerveja é permitida a maiores de 16 anos
3 de junho de 2014 - 07h01



“Os jovens e o álcool” é o tema de um colóquio que reunirá hoje na Assembleia da República deputados, entidades estatais e especialistas nacionais e estrangeiros.



Promovido pela Assembleia da República e pela Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE), o encontro visa analisar os dados mais recentes sobre o consumo de bebidas alcoólicas entre os jovens, bem como avaliar os resultados das atuais estratégias de redução de riscos, sobretudo a idade mínima para o consumo de álcool, segundo um comunicado da ANEBE.



Uma das reivindicações da ANEBE é que a interdição de venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos seja alargada a todas as bebidas.



Ao abrigo da atual Lei do Álcool – revista há perto de um ano – a venda de vinho e cerveja é permitida a maiores de 16 anos enquanto a venda de bebidas espirituosas só é autorizada a maiores de 18 anos.



Alega a associação que o “último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre álcool e saúde demonstra claramente que o vinho e a cerveja são as bebidas alcoólicas mais consumidas em Portugal”.



Para a ANEBE, esses dados da OMS “colocam em causa a discriminação da lei atual, que apenas estabelece o limite de 18 anos para as bebidas espirituosas”.



Refere ainda que “não há álcool bom e álcool mau”, "nem diferença entre o álcool de um gin tónico, o de uma cerveja ou de um copo de vinho, pelo que o Estado ao estar a criar através de mecanimos e de política fiscal uma vantagem competitiva para os concorrentes faz com que a indústria de bebidas espirituosas pareça “uma galinha de ovos de ouro”, mas seja "uma galinha cada vez mais depenada”.



Por Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários