Especialistas debatem maior prevalência de depressão entre os diabéticos

A depressão é mais prevalente nos diabéticos do que na população geral, o que muitas vezes compromete a adesão à terapêutica, afirma o Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus, doença que afeta cerca de 13% da população em Portugal.
créditos: AFP PHOTO/ SAJJAD HUSSAIN

Este é um dos principais temas em destaque na 10ª Reunião do Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus (NEDM), que decorre nos dias 09 e 10 de Outubro, em Viseu.

Segundo Edite Nascimento, coordenadora destas jornadas, “sendo a diabetes mellitus uma doença crónica, com implicações em todos os órgãos e sistemas orgânicos, é fácil de perceber o motivo pelo qual a depressão é também mais prevalente neste grupo populacional”.

A médica internista explica ainda que quando a depressão surge no evoluir da doença, muitas vezes fica “comprometida de forma séria” a adesão terapêutica e o doente fica mais exposto ao aparecimento de complicações resultantes do agravamento metabólico associado.

A diabetes gestacional será outro dos assuntos a debater neste encontro, já que muitas mulheres correm risco de desenvolver diabetes durante a gravidez, com normalização dos valores de glicemia após o parto.

No entanto, “o aparecimento de diabetes durante a gestação pode trazer riscos acrescidos para a mãe e para a criança, nomeadamente maior taxa de malformações do feto, macrossomia e complicações várias durante o parto”, alerta a responsável.

As novas terapêuticas para o tratamento da diabetes também vão estar em foco, sendo que em Portugal existe já um grande número de opções terapêuticas ao dispor dos médicos para tratarem as pessoas com diabetes de forma mais individualizada, afirma Edite Nascimento, mostrando-se preocupada com o impacto da diabetes mellitus no país.

Comentários