Equipamentos desportivos fechados, aulas suspensas e muitas dúvidas por causa da legionella

Os moradores das freguesias de Vila Franca de Xira mais afetadas pelo surto de legionella viram os seus equipamentos desportivos serem encerrados e as aulas de Educação Física suspensas, além de continuarem com muitas dúvidas acerca dos cuidados a tomar.

A Câmara de Vila Franca de Xira decretou domingo, por recomendação da Direção-Geral de Saúde (DGS), o encerramento provisório dos equipamentos desportivos das freguesias de Póvoa de Santa Iria, Forte da Casa e de Vialonga, as que registaram mais casos de surto da legionella.

Foram ainda suspensas as aulas de Educação Física nas escolas e desligados os sistemas de rega e as fontes ornamentais.

Esta manhã, à porta da escola básica de Vialonga, vários alunos brincavam no recreio à hora em que teriam uma aula de Educação Física.

Uma funcionária do estabelecimento escolar, que não se quis identificar, disse que alguns professores de Educação Física optaram por dar uma aula teórica mais curta.

Em declarações à agência Lusa, à porta do estabelecimento escolar, o presidente da junta de freguesia de Vialonga, José Gomes, afirmou que “tudo está a funcionar como previsto”, embora o sentimento da população ainda seja de “muita preocupação”.

“Existe um sentimento de medo e receio, mas as indicações que tenho da Câmara [de Vila Franca de Xira] é que caminhamos para que as coisas fiquem normalizadas”, apontou o autarca.

Máscara para utilizar máquina do café

Num dos cafés da freguesia, as medidas de proteção passam pela utilização de uma máscara para evitar o vapor das máquinas de café.

Tânia Santos, uma das funcionárias do café, explicou à Lusa que terá esse procedimento até que a fonte do surto seja identificada.

“Mais vale prevenir do que remediar. A situação está muito preocupante, porque ainda não existem soluções”, lamentou.

Na união de freguesias da Póvoa de Santa Iria da Azóia e do Forte da Casa o sentimento geral dos moradores, ouvidos pela Lusa, era igualmente de “preocupação e medo”.

Comentários