Enfermeiros portugueses em segundo lugar na lista dos que chegam ao Reino Unido

Nível de formação dos enfermeiros portugueses é considerado dos melhores da Europa
12 de abril de 2013 - 09h21



O número de enfermeiros portugueses a chegar ao Reino Unido cresceu quase 40 vezes nos últimos seis anos, tornando-se na segunda nacionalidade estrangeira com mais novas inscrições na ordem profissional britânica.



Desde 01 de abril de 2012 até 19 de março deste ano inscreveram-se 773 enfermeiros portugueses no Nursing and Midwifery Council (NMC), que regula o acesso à profissão no país, enquanto em 2006/07 tinham-se registado apenas vinte.



Os números oficiais foram obtidos pelo portal Diáspora dos Enfermeiros a pedido de um dos fundadores e responsáveis, Nuno Pinto, que considera que os portugueses se tornaram num "filão" a explorar.



"Somos quase diamantes porque o nosso nível de formação está entre os melhores da Europa e, por consequinte, quando chegamos a qualquer país, temos uma capacidade de adaptação grande. A nossa postura profissional e nível de conhecimentos técnicos e teóricos são bastante bons, comparando com outras nacionalidades", explicou à agência Lusa.



Os enfermeiros portugueses têm também beneficiado das restrições impostas pelo governo de coligação entre liberais e conservadores aos profissionais extra-comunitários.



"Somos os novos filipinos", ironizou, a propósito dos milhares de enfermeiros que chegaram daquele país do sudeste asiático nas décadas anteriores devido à boa formação profissional e linguística.



"Também chegam muitos espanhóis e italianos, mas nós falamos melhor inglês e estamos mais bem preparados", garante.



De acordo com informações do NMC, em 2006/07, quando começaram a surgir estrangeiros nas tabelas de inscritos, os portugueses estavam no 17º lugar.



As inscrições foram duplicando quase a cada ano e desde 2011/12 que Portugal ocupa o segundo lugar na tabela de inscrições de enfermeiros estrangeiros, atrás da Roménia e, este ano, depois da Espanha.



Nuno Pinto, que é especialista em cuidados intensivos e chegou há sete anos, criou o portal Diáspora dos Enfermeiros para tentar responder aos muitos pedidos de informação que recebia.



Além de informações práticas sobre como abrir uma conta bancária, a obtenção do número fiscal ou a procura de alojamento, tem elementos mais específicos sobre a procura de emprego, a inscricão na ordem de enfermeiros britânica ou conselhos para entrevistas de emprego.



O Reino Unido é atualmente o destino mais popular para os enfermeiros portugueses, admite, mas há outros países com interesse crescente, como Nova Zelândia, Austrália, EUA, Médio Oriente e Singapura.



"Há pessoas que voltam a Portugal por causa de laços familiares, mas a maioria fica", refere, fundamentando: "Antes vinham por convicção, agora é por falta de opção".



Lusa
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários