Enfermeiros alertam para falta de pessoal e viaturas para visitas domiciliárias

Sindicato frisa que falta de enfermeiros é uma "política de saúde que mata"
26 de novembro de 2013 - 11h50



O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) iniciou hoje, em Coimbra, no Centro de Saúde Fernão Magalhães, uma ação de esclarecimento em defesa do Serviço Nacional de Saúde, alertando para a inexistência de viaturas para visitas domiciliárias.



A ação de esclarecimento e sensibilização junto dos utentes, que decorre até 02 de dezembro, pretende "denunciar a política de saúde que mata", afirmou Paulo Anacleto.



"Uma política que mata por muitas razões. Os serviços encerram e diminuem os horários de atendimento, equipamentos não funcionam por falta de manutenção, a própria tutela concorda que faltam enfermeiros mas não há contratação e faltam viaturas para as visitas domiciliárias", disse o dirigente sindical, em declarações à agência Lusa.



Os enfermeiros alertaram ainda para a "a sobrecarga das 40 horas de trabalho".



Os enfermeiros "estão no limite", disse à Lusa Paulo Anacleto, coordenador da direção regional de Coimbra do SEP, explicando que a aplicação das 40 horas de trabalho aos enfermeiros pode condicionar "a segurança na prestação dos cuidados de saúde".



O Tribunal Constitucional declarou, na segunda-feira, que a proposta de lei do Governo das 40 horas semanais de trabalho para todos os funcionários públicos está em conformidade com a Constituição.



"Já trabalhamos muito mais do que quatro horas, mas que não são pagas em conformidade", criticou Paulo Anacleto, referindo que "as instituições olham para o lado aquando do pagamento de horas extraordinárias".



O dirigente sindical afirmou que o SEP "tem a possibilidade, do ponto de vista negocial, de conseguir as 35 horas", querendo discutir essa proposta com o Ministério da Saúde.



O coordenador regional do SEP explicou que "muitos dos cortes não estão visíveis para os utentes", pretendendo que a sociedade civil se sensibilize pelas reivindicações do SEP.



Para além da distribuição de folhetos informativos hoje no Centro de Saúde Fernão Magalhães, o sindicato vai estar presente no Centro de Saúde Figueira da Foz, na quarta-feira, na Praça 8 de Maio, em Coimbra, na sexta-feira, e na segunda-feira, nos Hospitais da Universidade de Coimbra.



SAPO Saúde
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários