Ébola já provocou mais de 2.400 mortos, segundo OMS

Margaret Chan pede uma maior mobilização da comunidade internacional
12 de setembro de 2014 - 11h50



A epidemia da febre hemorrágica ébola na África Ocidental já matou mais de 2.400 pessoas, num total de 4.784 casos, segundo um balanço anunciado esta sexta-feira pela diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan.



"No dia 12 de setembro, contabilizámos 4.784 casos" e "mais de 2.400 mortos", declarou Chan, numa conferência de imprensa na sede da OMS em Genebra.



Não foi informado, no entanto, se estes números incluem a Nigéria ou se é um balanço dos três países mais afetados: Guiné, Libéria e Serra Leoa.



O balanço anterior publicado na terça-feira pela OMS informava sobre a morte de 2.300 pessoas na sequência do vírus, num total de 4.293 casos em toda a África Ocidental.



"Nos três países mais afetados, o número" de casos "aumenta mais rápido do que a capacidade para tratá-los", advertiu esta sexta-feira Chan, que pede uma maior mobilização da comunidade internacional.



E lembrou que já não resta nenhum leito disponível para tratar estes pacientes na Libéria.



Na mesma conferência de imprensa, o ministro da Saúde cubano, Roberto Morales Ojeda, anunciou que o país vai enviar 165 médicos e enfermeiros para a Serra Leoa durante seis meses para ajudar as autoridades a combater a epidemia de ébola.



Trata-se do envio mais importante de especialistas à região, destacou Chan.



Por SAPO Saúde/AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários