Doentes com Asperger: Edifício do séc XVII servirá de espaço para formação, emprego e residência de jovens com doença

Jovens com mais de 16 anos e Síndrome de Asperger vão ter um novo espaço para formação, emprego e até residência em Lisboa. As obras da "Casa Grande" arrancam hoje para começar a funcionar dentro de um ano.

As obras de requalificação de um edifício do século XVII na Quinta da Granja, em Benfica, arrancam hoje graças ao trabalho da Associação Portuguesa de Síndrome de Asperger (APSA), que quer abrir dentro de um ano um Centro de Actividades Ocupacionais e uma Residência Autónoma para pessoas com Síndrome de Asperger (SA).

“Existe um número significativo de jovens com SA que abandona a escola a partir dos 16 anos e é nesse momento que surgem os primeiros problemas de inserção na vida ativa. Embora a legislação portuguesa contemple a possibilidade de recurso a emprego protegido, na prática não se verifica e isso gera expectativas nos portadores e também incertezas nos seus familiares quanto ao seu futuro", explica a presidente da APSA, Piedade Líbano Monteiro.

Quando terminarem as obras, o espaço em Benfica deverá acolher jovens com SA e habilitações literárias a partir do 9º ano de escolaridade.

A “Casa Grande” será um espaço de formação, de treino de competências sociais e de emprego temporário que pretende favorecer a integração social e profissional.

Além de receberem apoio, as pessoas com SA da "Casa Grande" vão estar também responsáveis pela prestação de serviços de apoio à comunidade. De acordo com a associação, a Casa Grande irá ter serviços semelhantes aos que já existem no espaço Ágora, “com equipamento informático e acesso à internet para estudantes, serviços de reprografia, impressão e multimédia, lavandaria, engomadoria e arranjos de costura bem como a abertura e funcionamento de uma cafetaria, de uma cozinha e um quiosque”.

20 de julho de 2011

Fonte: Lusa

Comentários