"Doenças relacionadas com modo de vida" são nova ameaça na Ásia Pacífico

Estudos recentes mostram que mais de 12 por cento dos adultos chineses têm diabetes

22 de outubro de 2013 - 13h23

As doenças relacionadas com o modo de vida e envelhecimento da população constituem um novo desafio para os países da Ásia-Pacífico, que conseguiram debelar as doenças mais tradicionais, afirmou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Estas afeções, geralmente resultantes de alterações do regime alimentar e de uma diminuição da atividade física, estão em forte progressão nos países asiáticos, disse à imprensa o diretor da OMS para o Pacífico ocidental, Shin Young-soo, num encontro realizado em Manila.

Estudos recentes mostram que mais de 12 por cento dos adultos chineses têm diabetes, e que mais de 50% de entre eles estão em situação prediabética (hiperglicémia), apresentando o risco de desenvolver a doença, indicou.

A taxa da diabetes na população chinesa tem aumentado fortemente desde a década de 1990, em que era de entre 3 e 4%.

Na Coreia do Sul, Japão e Vietname, estas taxas rondam os 10%, afirmou Shin Young-soo.

"Isto deve-se a grandes mudanças na nossa alimentação, ao longo dos últimos 30 a 40 anos. muito interessante verificar que as populações asiáticas (...) têm maior tendência a tornar-se diabéticas que as populações ocidentais", disse Shin.

"Devíamos fazer evoluir os nossos comportamentos. Toda a sociedade deve encarar este problema", sublinhou.

Outras doenças não transmissíveis, como a hipertensão ou taxas elevadas de colesterol, estão a registar também um aumento, apesar de serem facilmente evitadas com medidas de prevenção, lamentou o responsável.

Em alguns países, como várias ilhas da Ásia-Pacífico, a diabetes atingiu cerca de 40% dos adultos, e entre 75 a 80% deles são obesos.

"Dentro de alguns anos, este problema vai significar importantes despesas de saúde e privar a sociedade de força de trabalho", advertiu.

Shin Young-soo afirmou também que o envelhecimento das populações, em alguns países da Ásia-Pacífico, como a Austrália, o Japão ou a China, ia obrigar os Estados a aumentar as despesas com os cuidados para idosos.

Outras doenças presentes na região, como a cegueira ou as doenças fármaco-resistentes, estarão também em foco na reunião da OMS, na capital das Filipinas, esta semana.

SAPO saúde com Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários