Diagnóstico precoce da doença renal crónica é fundamental para travar progressão

O diagnóstico precoce da doença renal crónica nas crianças, principalmente nas que têm histórico familiar, é fundamental para atrasar a evolução da doença para estadios muito avançados.
créditos: Pixabay

“A hipertensão arterial pode ser uma manifestação da doença renal mas existem outros sintomas que podem levantar a suspeita como o atraso de crescimento, o cansaço, o edema a urina com espuma ou uma alteração na sua cor”, refere Fernando Nolasco, Presidente da Sociedade Portuguesa de Nefrologia.

“A medição da tensão arterial na consulta de rotina, que é obrigatória a partir dos três anos mesmo em crianças saudáveis, ou um teste de urina, que deteta sangue ou proteínas na urina, podem alertar para o diagnóstico”, conclui o especialista.

Em Portugal, uma em cada 10 pessoas sofre de doença renal crónica e anualmente são registados 2.500 novos casos de insuficiência renal crónica terminal, existindo, atualmente, cerca de 16 mil doentes em tratamento substitutivo renal (diálise e transplante). Nas crianças, ocorrem cerca de 15 novos casos por ano, na população com idade inferior aos 18 anos e a prevalência estima-se em 100 casos de doença renal crónica terminal neste grupo etário.

A Doença Renal Crónica caracteriza-se pela existência de uma lesão renal que se faz acompanhar de um declínio mais ou menos lento mas progressivo das funções dos rins. É uma doença que pode atingir qualquer pessoa, independentemente do género ou idade, mas cuja incidência é maior no sexo masculino e nos adultos, o que faz com que seja considerada uma doença que atinge sobretudo as idades mais avançadas.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários