DGS cria nova estratégia para travar casos muito graves de gripe

A Direção-Geral de Saúde emitiu novas recomendações sobre uso de medicamentos para tratar doentes com gripe e criou uma reserva estratégica nacional para casos mais graves internados nos cuidados intensivos.
créditos: LUSA

Em plena epidemia da doença, as autoridades nacionais da Saúde lançaram esta semana duas orientações aos médicos: uma dá recomendações sobre como e quando se devem dar medicamentos, como o conhecido Tamiflu, aos doentes com gripe. A outra criou uma reserva nacional com um pequeno número de doses de um medicamento usado em casos ainda mais graves.

O zanamavir endovenoso é um medicamento usado em unidades de cuidados intensivos ou intermédios e os especialistas identificam-no como uma espécie de último recurso para doentes com gripe a quem nada mais faz efeito, escreve esta quarta-feira a TSF Online.

A reserva estratégica nacional de um medicamento foi lançada pela Direção-Geral de Saúde (DGS) no hospital de Santa Maria, em Lisboa, para casos muito graves de gripe.

Acordo com o Infarmed

A DGS explica que pediu ao Infarmed uma Autorização de Utilização Excecional que permitiu à empresa produtora importar um pequeno número de tratamentos que constituem a "reserva estratégica nacional", medicamentos estes que vão ficar no Hospital de Santa Maria, mas acessível a todos os hospitais do país que queiram aceder ao fármaco.

A DGS emitiu ainda um conjunto de recomendações para os médicos para identificar o tipo de doentes que devem tomar o zanamavir mas também o oseltamivir, conhecido pela marca Tamiflu. O objetivo é travar a evolução da doença e a transmissão a outras pessoas.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários