Detido médico responsável pela morte de 13 mulheres na Índia

A polícia deteve um médico que executou cirurgias de esterilização em massa no centro da Índia, as quais causaram a morte a 13 mulheres e levaram ao internamento hospitalar de várias dezenas, informou fonte oficial.

O médico, R.K Gupta, foi detido para interrogatório na quarta-feira no estado de Chhattisgarh, disse à AFP o inspetor geral da polícia Pawan Deo.

As cirurgias levadas a cabo durante o fim-de-semana num acampamento sanitário estiveram na origem de várias complicações de saúde das mulheres que a elas se submeteram.

Na quarta-feira, o país foi palco de vários protestos contra a morte das  13 mulheres cujas trompas uterinas foram laqueadas no âmbito de uma campanha governamental.

Outras 14 mulheres continuam em estado grave no estado de Chattisgarh, centro do país, devido a complicações decorrentes do procedimento. Cada uma recebeu uma indemnização de 1.400 rúpias, cerca de 20 euros.

"As primeiras investigações sugerem que as mortes foram consequência de um choque séptico", disse à AFP um encarregado do governo local, Amar Thakur.

"Parece que o material médico usado estava infetado. Estamos à espera do relatório", afirmou por telefone o encarregado do distrito de Bilaspur, onde a operação foi realizada.

artigo do parceiro: Nuno de Noronha

Comentários