Descoberta no campo do DNA devolve “cores” à história

14 de janeiro de 2013 - 09h17



Uma equipa de cientistas europeus desenvolveu uma nova técnica que permite determinar com precisão a cor de olhos e cabelo dos seres humanos a partir de amostras de DNA que podem ser recolhidas de restos humanos com centenas de anos.



Cientistas polacos e holandeses criaram o sistema HIrisPlex, um método de análise médico-legal que é capaz de revelar com precisão a cor dos olhos e cabelo de um indivíduo a partir de amostras de dentes com 800 anos.



O sistema identifica 24 variações genéticas que podem depois ser analisadas para se deduzir a cor de cabelo e olhos de quem já morreu há centenas de anos.



"O método poderá ser utilizado para resolver históricas polémicas " sobre características de indivíduos que viveram no passado, destacou o Dr. Wojciech Branicki, do departamento de medicina-legal da Universidade de Jagiellonian, em Cracóvia, que dirigiu o estudo em colaboração com o professor Manfred Kayser, da Universidade Erasmo de Roterdão.



O estudo é publicada esta segunda-feira na revista Investigative Genetics.



Por AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários