Coronavírus MERS faz mais três mortos na Arábia Saudita

Três pessoas infetadas pelo coronavírus MERS morreram recentemente na Arábia Saudita, onde o número de infeções voltou a aumentar um mês antes da peregrinação anual a Meca.
créditos: AFP

O serviço de urgência do hospital Rei Abdel Aziz encerrou temporariamente depois do registo de "46 infeções, incluindo profissionais de saúde", segundo o jornal saudita Gazette.

As três novas mortes - sauditas com idades entre os 65 e os 86 anos - elevam para 483 o número de vítimas mortais entre as 1.118 pessoas infetadas pelo coronavírus na Arábia Saudita, onde a doença surgiu em 2012, segundo dados do Governo local.

Entre 9 e 15 de agosto, foram registadas 21 novas infeções, 20 das quais em Riade, revela a mesma fonte.

O ministro da Saúde, Khaled al-Faleh, citado pela agência oficial SPA, garantiu que seriam tomadas medidas para prevenir infeções entre os peregrinos.

Cerca de 2 milhões de fiéis devem realizar a peregrinação anual a Meca, programada para 21 de setembro.

O coronavírus MERS, uma infeção pulmonar, surgiu em 2012 na Arábia Saudita e, mais recentemente, na Coreia do Sul, onde foram registadas 36 mortes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou 1.368 casos confirmados desde 2012 em todo o mundo e pelo menos 490 mortes.

O vírus MERS é mais mortal, mas menos contagioso, do que o SRAS, a síndrome respiratória aguda grave que fez quase 800 mortes em todo o mundo em 2003.

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários