Cordão humano em Alandroal contra alterações ao transporte de doentes não urgentes

Sábado é o dia escolhido pela população para demostrar a sua indignação

A população do concelho alentejano de Alandroal vai promover sábado um cordão humano para manifestar o seu descontentamento em relação às alterações introduzidas no transporte de doentes não urgentes, disse hoje fonte do município local.

A mesma fonte explicou que esta foi a principal decisão de uma sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Alandroal, que teve como objetivo reunir as entidades com responsabilidades na área da saúde na região para discutir a questão das alterações ao transporte de doentes não urgentes, introduzidas pelo Ministério da Saúde.

O cordão humano decorre sábado, às 11:00, em Alandroal, entre a Praça da República e o Centro de Saúde.

Segundo o município, a sessão da Assembleia Municipal contou com a presença de dois deputados (PCP e PSD) eleitos pelo círculo de Évora, uma representante do Governo Civil, o presidente do município e representantes dos bombeiros, taxistas e das instituições particulares de solidariedade social do concelho.

A autarquia indicou que não participaram na sessão daquele órgão autárquico, embora tivessem sido convidados, os responsáveis da área da saúde no concelho e no distrito.

De acordo com o município, na reunião “ficou claro que muitos munícipes do concelho de Alandroal estão a deixar de comparecer às consultas e aos tratamentos que lhes são prescritos por falta de transporte”.

Assinado pelo secretário de Estado da Saúde, Óscar Gaspar, o despacho, que entrou em vigor a 01 de janeiro, determina que o acesso ao transporte pago pelo Ministério da Saúde passa a ter que responder obrigatoriamente a dois requisitos: prescrição clínica e insuficiência económica.

30 de março de 2011

Fonte: LUSA/SAPO

Comentários