Consumir bebidas gaseificadas “light” aumenta risco de depressão

10/01/2013 – 10h29

Um estudo norte-americano revelou que os consumidores de refrigerantes gaseificados com baixas calorias são mais propensos a desenvolver depressões do que os consumidores de refrigerantes normais.

O estudo avança ainda com a teoria de que os consumidores de café são em média mais felizes do que os de refrigerantes.

Segundo a investigação do National Institutes of Health, nos Estados Unidos, em colaboração com o National Institute of Environmental Health Sciences e o National Cancer Institute, ingerir bebidasaçucaradas – especialmente as açucaradas artificialmente – pode ajudar a desenvolver depressões.


A investigação, que será publicada pela Academia Americana de Neurologia, revela que as pessoas que bebem quatro ou mais latas de refrigerante por dia têm cerca de 30 por cento mais probabilidades de serem diagnosticados com depressão do que as pessoas que não bebem refrigerantes. Já os consumidores de café têm cerca de 10 por cento menos probabilidade de desenvolver a doença.


O estudo foi realizado em mais de 250 mil pessoas entre os 50 e 71 anos entre 1995 e 2006. O responsável pela investigação, Honglei Chen, conclui que "o risco [de desenvolver a patologia] parece ser maior para as pessoas que bebem refrigerantes de dieta de uma forma regular."


“A nosso estudo sugere que cortar nas bebidas dietéticas adocicadas ou substituí-las por café sem açúcar pode, naturalmente, ajudar a diminuir o risco de depressão", acrescentou, num comunicado, citado pela US News.

"Mas são necessárias mais pesquisas para confirmar estes resultados e as pessoas com depressão devem continuar a tomar medicamentos prescritos depressão por seus médicos", frisou.

Por Nuno de Noronha

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários