Concentração junta meia centena de enfermeiros à porta do hospital de Viana

Greve dos enfermeiros no Minho ultrapassa os 85%

28 de agosto de 2014 - 14h01

Cinquenta enfermeiros concentraram-se hoje à porta do hospital distrital de Viana do Castelo, no primeiro de dois dias de greve, que, no turno da manhã, registou uma adesão de mais 86%.

Os números da adesão ao protesto e à greve no dia de hoje foram avançados à agência Lusa por Guadalupe Simões da direção nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), que apontou para uma adesão à greve dos 804 enfermeiros da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) de 86,42%, no turno desta manhã, no primeiro dia de uma greve que termina sexta-feira.

"É uma excelente adesão por parte de todos os enfermeiros da ULSAM. No hospital de Viana, neste turno, regista-se uma adesão 85%, no hospital de Ponte de Lima 100% e prevê-se que esse seja o valor em todos os turnos durante a duração desta greve. Nos centros de saúde de Monção, Caminha, Vila Nova de Cerveira regista-se 100% de adesão. Nos outros entre 60 e 80%", explicou a dirigente sindical.

Segundo o SEP, a ULSAM emprega atualmente 804 enfermeiros quando "deveria dispor de 1.200.

"Há uma extrema falta de enfermeiros nesta unidade que identificamos em cerca de 350 mas o Conselho de Administração diz que só precisa de mais 19", afirmou.

De acordo com a dirigente sindical, "em média a maioria dos enfermeiros deste hospital está a fazer mais 50 a 60 horas por mês".

Guadalupe Simões criticou a política seguida pela administração da USLAM, que "não substituiu os enfermeiros que se aposentam razão pela qual todos os enfermeiros que aqui estão têm que os substituir e fazer o trabalho desses colegas".

"Esta administração segue as orientações do senhor Ministro que diz que é possível fazer mais com menos. Na realidade o que assistimos é que não é possível e as pessoas estão cansadas", sustentou.

Contatada pela Lusa para apurar os números da adesão à greve, fonte da ULSAM remeteu todos os esclarecimentos para uma nota de imprensa.

No documento, a administração da ULSAM afirma que "os serviços assistenciais à população encontram-se assegurados, reconhecendo o Conselho de Administração a dedicação e empenho dos profissionais de enfermagem".

"As questões colocadas pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses em reunião tida com o Conselho de Administração, a 07 de agosto, estão a ser objeto de apreciação" remata o documento.

A ULSAM integra dois hospitais, situados em Viana do Castelo e Ponte de Lima, e 13 centros de saúde.

O hospital de Viana do Castelo serve cerca de 244 mil pessoas dos dez concelhos do distrito e algumas populações vizinhas do distrito de Braga.

Segundo dados de 2011 da ULSAM, trabalhavam nos hospitais de Viana do Castelo e Ponte de Lima, além de 13 centros de saúde, em todo o distrito cerca de 2.600 funcionários.

Por Lusa

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários