Cirurgiões britânicos reconstroem rosto com prótese criada por impressão 3D

Stephen Power é dos primeiros pacientes a receber próteses de titânio obtidas por impressão 3D
12 de março de 2014 - 14h18



Stephen Power, natural do País de Gales, no Reino Unido, ficou desfigurado num acidente de moto, mas a sua vida mudou graças às técnicas de reconstrução facial por impressão 3D. A nova tecnologia permitiu que toda a cara de Stephen Power fosse reconstruída com recurso a próteses de titânio obtidas a partir de impressoras 3D.



Na altura do acidente, em 2012, Stephen Power sofreu fraturas nos ossos da face, mandíbula superior, nariz e crânio, e passou quatro meses internado no hospital sob vigilância médica.



Para restaurar a simetria do rosto, cirurgiões do Morriston Hospital em Swansea partiram as maçãs do rosto do paciente antes de instalar implantes criados com uma impressora 3D a partir de um modelo reconstruído.



"Os resultados são muito melhores do que qualquer coisa que tenhamos feito antes. É incomparável. Permite-se ser mais precisos", disse Adrian Sugar, médico especialista em cirurgia Maxilo-Facial.



"Pude constatar a diferença assim que acordei após uma operação que durou oito horas", disse que o paciente de 29 anos, citado pela agência France Presse.



Stephen Power é dos primeiros pacientes de unidades de Trauma do mundo a receber implantes obtidos a partir de impressão 3D.



O projeto de impressão de próteses 3D resulta de uma parceria entre o Centre for Applied Reconstructive Technologies in Surgery, a unidade de cirurgia Maxilo-Facial do Morriston Hospital e o National Centre for Product Design and Development Research (PDR) da Universidade de Cardiff.



SAPO Saúde com AFP
artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários