Cientistas usam hip hop para tratar distúrbios mentais

A música e as letras permitem que a comunicação entre médico/paciente flua melhor.

Dois pesquisadores britânicos da Universidade de Cambridge usam as letram de hip hop para tratar distúrbios mentais como depressão, vícios e transtorno bipolar.

Becky Inkster e Akeem Sule são fãs do estilo musical e por isso lançaram o projeto Hip Hop Psych’ (Psiquiatria do Hip Hop, em tradução livre).

O projeto usa letras de canções ligadas à cultura do hip hop e a outros estilos musicais para ajudar pacientes a expressarem-se: "Usamos este método como um veículo para nos aproximarmos de pessoas mais jovens", afirma Inkster.

Segundo o seu site oficial "as letras de hip hop vão muito para além das ofensas, do dinheiro e da exploração de mulheres". "A música do hip hop está cheia de referências à saúde mental, ligadas a vícios, psicoses, desvios de conduta, transtorno bipolar e outros."

Akeem Sule confidencia mesmo que o seu sonho de criança era ser rapper, mas acabou por tornar-se psiquiatra, como era desejo dos seus pais.

A equipa de pesquisadores revela ainda que os pacientes expressam-se melhor via hip hop e há inclusive doentes, os mais jovens, que até já decidiram seguir a carreira de rapper, depois desta terapia.

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários